segunda-feira

MENE, MENE, TEQUEL, UFARSIM - TRÊS SENTENÇAS E UM MISTÉRIO

Ao lermos Daniel cinco, nos deparamos com uma mensagem fortíssima, parece que as letras saltam diante dos olhos, mostrando-nos a justiça de um Deus que não se deixa escarnecer.
Narra à história de um homem que zombou e afrontou a soberania de Deus e não ficou impune, cujo nome era Belsazar. Seu contexto ladeava grandes riquezas e idolatria. Babilônia era cercada por fortes muralhas e cortada por o rio Eufrates. Um cartão postal do mundo da época.
Nabucodonosor reconstruiu a capital como uma das maiores cidades do mundo antigo e provavelmente, foi o responsável pelos famosos “jardins suspensos”. Outra grandiosa obra era o Portal Ishtar que servia de entrada principal para a cidade.
Todo esse esplendor levava seus habitantes a se orgulhar e se achar extremamente seguro, por a existência dos muros externos e internos que protegiam a cidade. Foi exatamente essa visão que levou Nabucodosor a si envaidecer pela tamanha obra arquitetônica idealizada por ele. A soberba entrou no seu coração e por isso foi punido por uma voz vinda dos céus: “Passou de ti o reino! Serás tirado dentre os homens e a tua morada será com os animais do campo far-te-ão comer ervas como o boi e passar-se-ão sete tempos sobre ti, até que conheças que o altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens e dá a quem quer. Dn 4.32.
Passado o tempo determinado ele caiu em si veio o arrependimento e bendisse o altíssimo, louvou e glorificou a Deus que vive para sempre, cujo domínio sempiterno e cujo reino é de geração em geração e todos os moradores da terra são reputados em nada segundo a sua vontade, ele opera no exército dos céus e nos moradores da terra. Dn 4.34-35.
Não há quem lhe possa deter a mão ou dizer: que fazes?
E pode humilhar aos que andam na soberba.
Belsazar sendo conhecedor de tudo isso não inclinou o coração a reconhecer o poderio e a magnificência do Deus dos céus.
Certa noite Belsazar fez uma festa no palácio e usou todos os utensílios sagrados do templo de Jerusalém trazido por Nabucodonozor. A fim de provocar o Deus dos céus blindou aos deuses da Babilônia com seus convidados e concubinas numa noite de orgias.
De repente, apareceu uma mão de homem escrevendo na parede branca do salão do banquete, num lugar iluminado pela luz do candelabro. Ao ver a mão, o rei mudou o semblante e turbaram os seus pensamentos, não sabia o que pensar; ficou trêmulo, pálido de medo e começou a tremer da cabeça aos pés. Dn 5.5-6
Imediatamente Belsazar em alta voz pede para introduzir no salão da festa todos os astrólogos e encantadores para lerem à escritura e declarar sua interpretação, mas ninguém foi capaz. Logo sua mãe, lembrou de Daniel que tinha o espírito dos deuses santos e podia interpretar o mistério. Não sabia ele que havia uma sentença divina para aquela atitude rebelde e insensata.
Dentro de pouco instante Daniel já estava decifrando e interpretando o mistério da escritura na parede: MENE, MENE TEQUEL UFARSIM.
MENE – Contou Deus o teu reino, e o acabou.
TEQUEL – Pesado foste na balança e foste achado em falta.
UFARSIM – Dividido foi o teu reino, e dado aos medos e aos persas.
Caro leitor, esta mensagem deve ser refletida com muita prudência para não cairmos na insanidade deste rei imprudente que na mesma noite foi morto e a cidade sitiada.
Todos nós, cedo ou tarde, estaremos subindo na balança de Deus para sermos pesados.
Na Balança de Deus, são pesadas à verdade das nossas palavras, na Balança de Deus são pesadas as nossas atitudes, a motivação das nossas ações, na Balança de Deus são pesados os nossos pensamentos, na balança de Deus são pesadas as nossas justiças.
Tenhamos o cuidado de fazer o que é reto para que não nos encontre em falta no aferidor do Justo juiz.
Vivemos num contexto tenebrosos dentro e fora de nossas igrejas, aonde homens que deveriam estar na posição de verdadeiros apologistas e polemistas, vivem comprometidos com a vaidade de seu bem estar. Muitos líderes dando ênfase à síndrome de lúcifer: fome de poder, fome de status e fome de sucesso. Expondo seu ministério com a vaidade de seus pensamentos, não dando a glória devida ao Criador, esquecendo-se que o Deus da justiça punirá todo aquele que colocá-lo como secundário.
Deus continua agindo como no passado, pesando na balança e dividindo reino.
Caro leitor nunca subestime o poder de Deus e nunca queira afrontá-lo. Muitos líderes usam o altar de Deus como palco para se promoverem, procurando estar no centro das atenções.
Não se esqueça que o mesmo Deus que agiu no passado tomando o reino de Saul, entregando a Davi, dividindo o reino de Roboão, entregando a Jeroboão e pesando na balança o rei Herodes; continua agindo na mesma forma em nossos dias, na vida daqueles que desafiam os seus princípios eternos, esquecendo-se que a glória e a honra só a Deus pertencem.
Sigamos o conselho do apostolo Pedro: “Humilhai-vos debaixo da potente mão de Deus e há seu tempo ele vos exaltará.”
Que o Deus vos abençoe com toda sorte de bênção nos lugares celestiais.
Shalom.

3 comentários:

  1. Muito bom o seu comentário, realmente o comportamentos desses "líderes religiosos" faz-se cumprir outra profecia - Apostasia dos Últimos Tempos.

    ResponderExcluir